sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Roseli Gonçalves

Em 2006, o McDonald's promoveu pela Internet um concurso cultural de alcance mundial, o Global Casting. O desafio aos participantes era contar em até 100 palavras o que mais amam na vida e como vivem esse amor. Das milhares de histórias que chegaram do mundo inteiro, 25 foram selecionadas. Entre elas está a brasileira Roseli Gonçalves do Espírito Santo, de São Paulo, que trabalha como professora de Libras, numa escola pública com Surdos há 20 anos.  Habituada a se comunicar desta forma, ela diz que "até sonha que está falando por meio de gestos", e considera muito importante ter participado do concurso com a possibilidade de divulgar essa linguagem. "Será muito significativo para os deficientes terem um reconhecimento e valorização da forma de comunicação que usam em uma ampla campanha internacional".


Fonte: McDonald's

3 comentários:

soramires disse...

O grupo Sulp comentou essa campanha mas em termos do erro de confundir professor de Libras com professor de deficientes auditivos, é preciso sempre lembrar que nem tudo surdo ou deficiente auditivo usa Libras.
http://www.sulp-surdosusuariosdalinguaportuguesa.blogspot.com

Cristina Ferber disse...

Como surda usuária da língua portuguesa, tenho a dizer que realmente a campanha cometeu um grande erro ao dizer que uma professora de libras é professora de deficientes auditivos, uma vez que ficou parecendo que todos os deficientes auditivos utilizam a Libras, e isso não é verdade. Não tenho nada contra a Libras, muito pelo contrário, acho-a válida e acredito que ela faz parte da cultura surda, mas não podemos ignorar os surdos que não utilizam a Libras para se comunicar.

Roseli Gonçalves disse...

Sou eu, a própria Roseli. Concordo com os comentários escritos e vou justificar. Solicitei ao Mc Donalds que escrevesse: Professora de Surdos, mas eles não gostaram e não aceitaram, acharam "ofensivo" e optaram por prof de deficientes auditivos. Além do mais, as embalagens foram traduzidas para muitos países e em alguns o termo deficiente é muito usado. Eu me considero professora de surdos embora tenha alguns deficientes auditivos na minha escola, usuário da Libras ou não.
Abraços a todos.