quarta-feira, 24 de junho de 2009

Identidade e Cultura Surda


É a interação social que nos socializa. As escolhas sobre o ambiente linguístico em que a criança crescerá, a opção do uso ou não da língua gestual e a escolha de ajudas técnicas e tipo de educação adoptado vão determinar a maneira como o desenvolvimento social da criança se irá processar.
Se for negada à criança a oportunidade de adquirir e desenvolver uma língua natural, crescerá com um enorme défice a nível linguístico, que comprometerá todo o seu desenvolvimento social, cultural, psicológico e afetivo, o que dificultará na construção identitária de qualquer criança inclusive uma criança surda. Pelo contrário, se a criança for exposta a uma língua gestual poderá adquirir um conhecimento cultural, sobre o mundo e as relações interpessoais, semelhante ao adquirido por uma criança ouvinte, afinal criança é criança ouvindo ou não, enxergando ou não, andando ou não.
A comunicação é vital na construção da identidade. O contato precoce entre o adulto surdo e a criança surda, através de uma língua gestual, é o que proporcionará o acesso à linguagem. Desta forma, estará também assegurada à identidade e cultura surda, que serão transmitidas naturalmente à criança surda pelo adulto surdo em questão. Quanto mais precoce o acesso à língua gestual, mais cedo a criança adquirirá uma identidade própria, consciente e sólida.
No entanto, de acordo com a história dos Surdos, as representações sobre a surdez sempre foram fundamentadas por mitos com base na religião, na ideologia, nos interesses de foro economico e nas diferenças sociais. Estas representações afetam o processo identitário do surdo, participando de processos de inclusão/ exclusão dos membros da sociedade e padronizando a "normalização social".
Segundo estudos, o Surdo apenas se sente pessoa se a sociedade o considerar como tal. O Surdo, na sua diferença, representa um perigo. Daí advém a tentativa de muitos de considerá-lo apenas uma pessoa com deficiência. No entanto, o Surdo como pessoa existe - esta é uma diferença que existe, que estigmatiza o surdo - a sua negação estigmatiza-o ainda mais, já que não permite o seu desenvolvimento, a sua formação de identidade como ser inteiro e integrante de uma comunidade de indivíduos diferentes como ele mesmo.

Fonte: Wikipédia

2 comentários:

Nicky disse...

Quisiera decir 'Hi', no hablo el portugues pero el espanol y puedo entender un poco lo que escribes. Entiendes el ingles ? Pasa una buenissima semana. Adios.

Raquel Cambé disse...

Hello Nicky, thanks for visit my blog!
You can write in english or spanish. I don't speak english very well but my husband helps me.
Have a nice week! Bye!