quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Alexander Graham Bell


Todo mundo conhece a Alexander Graham Bell e sua invenção: o telefone.
O que não se conhece tão bem são seus nexos com a comunidade surda.
Bell deu aulas a crianças surdas em escolas especiais (uma em Londres, outra em Boston para surdos, a escola de surdos Clarke e no albergue estadounidense de surdos). Também abriu uma escola para estudantes surdos e ouvintes, na que estudariam juntos, mas teve que se fechar só dois anos depois.

Fonte: Portal do Surdo.


5 comentários:

Mari = '.' = disse...

é, mas se vc pesquisar mais um pouco vai descobrir que Bell foi contra a língua de sinais... não lembro bem onde li isso, mas se depois eu encontrar vou postar aqui. Mas,de fato na época dele, ele era fazer da oralização.

Raquel Cambé disse...

Oi Mari,
No meu blog procuro falar sobre tudo que envolve a Cultura Surda...
Bell deu aulas a crianças surdas em escolas especiais. E destinou parte dos ganhos com a invenção do telefone para financiar escolas para surdos.
Com tudo isso, não poderia deixar de citá-lo no blog.

Obrigada pela participação, é muito bom interagir.

Abraço.

Samanta Alves disse...

Alexander Graham Bell, cientista estadunidense, trabalhava na oralização dos surdos. Casou com uma surda, Mabel. Bell era grande defensor do oralismo e opunha-se à língua gestual e às comunidades de surdos, uma vez que as considerava como um perigo contra a sociedade. Assim sendo, Bell defendia que os surdos não deveriam poder casar entre si e deveriam obrigatoriamente frequentar escolas normais, regulares. No entanto, em 1887 Bell, no Congresso de Milão, admitiu que os surdos deveriam ser oralizados durante um ano, mas se isso não resultasse, então poderiam ser expostos à língua gestual.[7] Esta luta entre o oralismo e a língua gestual continua até aos nossos dias.[8]

Nathalia Policarpo disse...

Grahan Bell realmente não trouxe nenhuma contribuição significativa, quando falamos em qualidade de comunicação, para os surdos. Sua intenção era exclusivamente banir qualquer forma de comunicação por sinai ou gestual entre os surdos, e realmente o fez, em sua escola os surdos eram obrigados a usarem apenas comunicação oral. Obrigar um surdo a oralizar-se é uma forma no mínimo cruel de educação.

Fazer um post requer pesquisa, é claro que seu conhecimento prévio no assunto pode ser levado em consideração, mas não será suficiente para trazer informação de qualidade aos seus leitores.

Maria Netta disse...

Defensor do oralismo,era contra o casamento entre surdos,cultura surda e escola de surdo. Porém,em 1873, quando dava aula para surdos na Universidade de Boston conheceu a surda Mabel, com quem se casou anos mais tarde.